Novos Adesivos para Colagens Estruturais, Construção de Estruturas e Fixação de Componentes Eletrônicos em Placas

24 As colas e selantes da DELO impressionam por sua cura rápida e alta flexibilidade

DELO, um fabricante Industrial de Adesivos desenvolveu um adesivo anaeróbico para colagens estruturais de engenharia mecânica e construção de Estruturas e também para fixação de componentes eletrônicos. Graças ao comportamento de equalizar tensões, estes produtos são particularmente adequados para colagem de metais com distintos coeficientes de expansão, e colar metais em plásticos usados em extensas faixas de temperatura. Comparado a produtos convencionais, a nova linha de adesivos DELO ML, são significantemente flexíveis em temperaturas permanentemente elevadas. Isto faz com que sejam por exemplo, adequados para colagem de estatores em carcaças de motores elétricos,

Em adição a alta resistência a aumentos de temperaturas, o adesivo deve ter a habilidade de equalizar a resultante de diferenças de expansão térmicas do aço e alumínio. Em colagens laminares e aplicações com tensões multi-axiais, eles também tem performance superior a produtos disponíveis no Mercado.

“Ferrites são fixados a uma placa de circuito impresso usando DELO ML DB 136”

Este adesivo monocomponente, livre de solventes cura através da exclusão de oxigênio (anaeróbico) sob influência de íons metálicos, e também por exposição a luz visível ou UV. As vantagens deste mecanismo de cura, incluem cura bem rápida do adesivo que vaza da área de colagem e é acessível a luz.

Áreas de possível aplicação podem ser no travamento de roscas, colagem de magnetos em motores elétricos, colagem de mancal ou fixação de componentes.

Dois produtos recentemente desenvolvidos estão disponiveis, os quais complementam a linha de produtos DELO-ML:

DELO ML DB 136, como um adesivo Fluorescente (Controle fácil da aplicação) cura Anaeróbica e radiação luz visível ou UV e;

DELO ML DB 180, adesivo cura anaeróbica/Luz com alta viscosidade, para aplicação em superfícies verticais.

Comments are closed.